Observar sem avaliar, primeiro componente da Comunicação Não-Violenta

A tarefa não é fácil, mas também não é impossível, afinal, como ficar calados por um momento neste mundo tão comunicativo e cheio de informação?


Quem acompanha as postagens nas redes sociais e inclusive já leu o artigo da Comunicação Não-Violenta (CNV) aqui no blog, sabe que no PatrulhaEUREKA.org trabalhamos a CNV com os nossos Patrulheiros, Guardiões e Caçadores como uma forma de todos poderem aprender a linguagem do amor desenvolvida pelo Psicólogo Marshall Rosenberg.


Esse tipo de comunicação facilita muito a nossa vida porque nos livra de muitas situações hostis uma vez que uma palavra mal interpretada está sujeita a ocasionar alguns desconfortos, uma palavra positiva abre caminhos para o que queremos.


Essa linguagem do sentimento contribui para que as necessidades de todos sejam atendidas de forma natural, pois sabendo usar cada componente identificamos o que realmente precisamos e queremos de nós mesmos e dos outros.


Como já tínhamos comentado anteriormente a CNV trabalha com quatro componentes que são fundamentais para um melhor entendimento dessa linguagem, são estes: a observação, o sentimento, a necessidade e o pedido. Para adotá-la como filosofia de vida é preciso estudar cada componente e entender os exemplos que Marshall disponibiliza e praticar. Neste artigo nosso foco será o primeiro deles.


A OBSERVAÇÃO é a capacidade de observar sem avaliar, sem julgamentos ou preconceitos, simplesmente escutar e/ou ver o comportamento do outro sem criar uma avaliação ou imagem errônea daquele sujeito.


A tarefa não é fácil, mas também não é impossível, começa com um exercício de atenção, afinal, já que aprendemos a falar podemos aprender a falar bem, nos comunicar, se conectar.


Como ficar calados por um momento neste mundo tão comunicativo e cheio de informação? Observar sem julgar significa ter paciência e esperar o momento certo para agir, ou seja, conhecer bem o território e contexto antes de executar o ato da fala.


Quando avaliamos e julgamos perdemos a capacidade de entender como o outro se sente porque nos precipitamos aos fatos. É fundamental que deixemos para trás os nossos preconceitos, ou “imagens inimigas” como Marshall explica, para que possamos nos expressar corretamente. Trata-se simplesmente de aprender a ver e escutar.


É preciso estar aberto a novas informações e entender que cada indivíduo é um universo, acredita em diversas coisas e possui costumes diferentes. Ao observar verdadeiramente, podemos fazer com que as pessoas entendam realmente o que queremos transmitir, pois as nossas palavras serão mais cuidadosas, sinceras, amorosas e pacíficas.


Reflita! Se trata de sermos responsáveis pelos nossos sentimentos e, consequentemente por nossos atos, nos conectando a nossa natureza fraterna, sendo empáticos com a utilização correta das palavras, pois somos altamente capazes de nos expressar com discernimento e clareza do que queremos.


“Quando combinamos observação com avaliação, as pessoas tendem a receber isso como critica.” (Rosenberg).

No livro, Marshall Rosenberg, explica que uma das dificuldades de separar a observação da avaliação é usar o verbo SER sem indicar que a pessoa que avalia aceita a responsabilidade pela avaliação. Confira:


  1. Exemplo de observação com avaliação associada: "Você é generoso demais!".

  2. Exemplo de observação isenta de avaliação: "Quando vejo você dar para os outros todo o dinheiro do almoço, acho que está sendo generoso demais.".

Consegue perceber a diferença?


Na primeira frase a pessoa que recebe a informação pode entender aquilo como uma crítica, um julgamento e por conseguinte as chances de estabelecer uma conexão harmoniosa diminuem. Já no segundo exemplo o indivíduo descreve realmente como se sente utilizando palavras corretas que demonstram esse sentimento sem afirmar nada, só dizendo o que ele pensa de uma maneira mais empática utilizando a linguagem da CNV.


Vamos a outros exemplos:

  1. Exemplo de observação com avaliação associada: "Você raramente faz o que eu quero.".

  2. Exemplo de observação isenta de avaliação: "Nas últimas três vezes em que comecei alguma atividade, você disse que não queria fazê-la.".

  1. Exemplo de observação com avaliação associada: "Ele aparece aqui com frequência.".

  2. Exemplo de observação isenta de avaliação: "Ele aparece aqui pelo menos três vezes por semana. ".

Quando estamos estabelecendo uma conversa precisamos nos desapegar das nossas crenças e certezas para nos permitir escutar o outro e assim observar sem avaliar para não julgar.


Se trata de nos desarmar para poder desarmar o outro e assim estabelecer a linguagem do amor, essa que tanto faz falta no mundo de hoje.


Palavras curtas e diretas raramente expressam o que realmente estamos sentindo e são mais susceptíveis de serem mal interpretadas.


Ensinar as nossas crianças um pouco sobre a CNV até que elas mesmas procurem por mais conhecimento é fundamental, pois vamos criando nelas uma cultura de clareza em que poderão se comunicar em qualquer parte do mundo, com qualquer pessoa da melhor maneira.


Acredite, por onde a CNV passa ela vem mudando vidas, transformando pessoas positivamente e criando ambientes prósperos e empáticos onde a paz e conciliação se fazem presentes.


Ainda tem os outros 3 componentes, mas por este artigo é só!


Convido você, a acessar as nossas redes sociais para que entenda um pouco mais sobre o PatrulhaEUREKA.org e como usamos em nossa metodologia de ensino a CNV para com as crianças.


Forte abraço, e como um bom Patrulheiro:


Sempre rumo ao Tesouro de Bresa e com muito Harbatol!

0 visualização
  • PatrulhaEUREKA.org
  • PatrulhaEUREKA.org
  • PatrulhaEUREKA.org

Sempre rumo ao tesouro de Bresa e com muito Harbatol!!

Avenida Benjamin Constant, 2023 - Centro - Boa Vista (RR)

(95) 99904-1879

contato@patrulhaeureka.org

Parceiros e Patrocinadores
LOGO EasyDS ATUAL.png