top of page

Como fazer PEDIDOS conectados para aumentar as chances de ATENDER às nossas necessidades | CNV (5)

Atualizado: 29 de ago. de 2020

Uma comunicação conectada estreita os laços e cria espaço para que as necessidades de todos sejam atendidas de bom grado.

 

Sabe quando você liga para o seu restaurante predileto, pede seu prato favorito e ele chega até você do jeitinho que pediu? Essa sensação é maravilhosa, certo?


Agora imagine se funcionasse assim com todas as pessoas, se você não tivesse que repetir seu pedido “mil vezes”, mas sim uma única vez.


Para entender melhor o último componente da CNV é necessário compreender os outros três que vêm antes dele. Para conhecer melhor o primeiro componente clique aqui e aproveite o conteúdo! 😁


PEDIDO


O quarto e último componente da Comunicação Não-Violenta é o PEDIDO.


Quando passamos pelas etapas anteriores, depois que mostramos o nosso sentimento e revelamos a nossa necessidade é momento de fazer o PEDIDO para então ser ATENDIDO!


Um pedido não deve se transformar numa ordem, porque ninguém gosta de receber ordens, mesmo num ambiente de trabalho.


Ao se respeitar a hierarquia, por exemplo, se cria uma conexão entre o empregado e o empregador, e mesmo este sabendo que tem que cumprir com determinada labor, um bom chefe sabe se comunicar, fazer o pedido de forma conectada para não criar ambientes hostis.


ENTENDENDO O PEDIDO


É preciso compreender que há casos em que você fala "A" e a outra pessoa ou grupo entende "B". Isso pode acontecer quando não se aplicam os outros componentes e a pessoa quer ir direto ao pedido.


Quando o que vem primeiro é uma exigência, quem a recebe já se coloca na defensiva e a comunicação não flui, dessa forma, seu pedido dificilmente será atendido.


O criador da CNV, Marshall Rosenberg, explica que quando alguém diz NÃO a você, ao seu pedido, na verdade ele está dizendo SIM para alguma necessidade dele.


Por isso a importância de se preocupar em perceber as necessidades dos outros que são externadas por meio do sentimento.


“Para praticar o processo de resolução de conflitos, devemos abandonar completamente o objetivo de levar as pessoas a fazerem aquilo que nós queremos.”. (Marshall Rosenberg).

A Comunicação Não-Violenta não é uma ferramenta de manipulação e o pedido não é você se tornar uma pessoa autoritária onde as pessoas têm o dever de lhe atender.


Quando compreendemos que a CNV é a linguagem do amor, percebemos que a doação é mútua. Você é escutado e escuta. É atendido e atende. Os benefícios são para ambas as partes.


Quando o egoísmo está no meio e os preconceitos te mantém cego, seu pedido não será atendido ou se ele for, não haverá nenhuma conexão e o relacionamento se desgasta.


ENTENDA O SEU PEDIDO


Assim como a observação deve vir sem uma avaliação e sem um julgamento, e o sentimento deve ser expresso para que as necessidades sejam atendidas, o pedido deve vir ao cumprir todos os componentes anteriores.


Exemplo: “Quero que você faça isso agora!”; “A louça se lava sozinha? Pedi para você lavar!”; “Quero que vá ao mercado e não esqueça de novo as coisas!”.